//
Devaneios
  • Esta é uma pequena seleção das centenas de textos da Poeta.
  • Outros links: Poemas, Prosas, Contos e Crônicas
  • Textos devidamente registrados na Biblioteca Nacional e protegidos quanto aos seus direitos autorais.

Poesia Falada: Confira tudo sobre o CD no link Verso em Voz
Maiores informações: contato@poetaflaviacortes.com.br

 
Devaneios
Breves e intensos flashes de poesia. Devaneios são hiatos de emoção suspensos no ar.

 

Acordou e abriu um olho só.

Acordou e abriu um olho só. O outro deixou enfiado no travesseiro. Viu que as palavras não encheram o pensamento e ficou ali, olhando a parede e ouvindo o silêncio. Ouviu o ruído do edredom roçando no corpo devagar quando abraçou o travesseiro. Ouviu o suspiro profundo que a preguiça soltou. Ouviu o barulho do mundo entrando devagarinho no quarto. Deixou-se ficar ali, até o outro olho insistir para abrir, até as palavras começarem a rodear, namoradeiras, em volta dela… “acordou e abriu um olho só…”

Inquieta manhã

Inquieta manhã. Acordei com o dia sussurrando possibilidades no meu ouvido… me dando vontades. Tentei não dar muita bola, fingi que dormia, mas não teve jeito. Riu no meu ouvido, brincou com os meus desejos, falou do que podíamos fazer juntos… me conhece bem o dia.

Alvorecer do Verso

A frase não tinha nem mesmo formado palavra quando deslizou suavemente por ela. Foi buscá-la no sonho. Acordou e ficou olhando o alvorecer do verso. Era um desses versos que prefere não vestir palavra. Que fica olhando para você nu. Ficaram os dois ali se olhando, tranqüilos e nus. Tinha um quê sacana aquele verso. Se estivesse com mais tempo, dobrava-o.

Plural

Ah, vai… não me peça que rimem os versos…
Diversa a forma
Avessa à fôrma
Que dual, plural!
E se meu pensamento voa
E meu sentimento pulsa
A palavra
Escorre

E
E adormeceu em teu verso
para amanhecer poema.

Receita de Domingo Gostoso

Coloca teu vestido mais estampado e tua sandália mais confortável. Escolhe teu perfume mais floral. Enfeita teu cabelo dos cachos mais soltos e teu rosto do sorriso mais livre. Depois, se leva pra rua pra ver verde que não nasça em vaso, sentir ar que não seja condicionado e assistir passarinho beijar flor. Misture tudo isso com alguns amigos escolhidos na primeira lembrança que o dia trouxer. Almocem em “qualquer lugar que der vontade”… que é um lugar super legal de ir. Deixe o dia seguir borbulhando entre risadas, carinhos, assuntos e silêncios. Pronto. Agora é só saborear.

Cadê o Encanto que estava aqui?

Antes do desapaixonar
Há o desencantar

Lúcida?

Lúcida?… talvez. Verdade, mesmo… me prefiro lúdica… para não perder a lucidez.

Amém

Amém, querida. Amém.
A propósito, acabei de perceber que a palavra amém, sem acento, vira “amem”… será que precisamos tirar os acentos para que o amor “assim seja”?

Meu olho escancara

Meu olho escancara, sem qualquer reserva, o que sou. Mergulha, então, nas minhas janelas. Revira, sem pudor, as minhas gavetas. Sou inteira e nua, aberta e exposta. Mas olha de novo amanhã, e depois de amanhã, e também depois… entende o meu avesso.

======================================================
Poesia Falada: Confira tudo sobre o CD no link Verso em Voz

Maiores informações: contato@poetaflaviacortes.com.br

======================================================

Textos devidamente registrados na Biblioteca Nacional e protegidos quanto aos seus direitos autorais.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: